Trabalho Infantil

Reflexão Semanal - Trabalho Infantil

Muito se fala de trabalho infantil, mas poucos entendem realmente essa situação de privação que muitas crianças e adolescentes são acometidos.

O trabalho infantil é violação dos direitos humanos., impedindo crianças e adolescentes a terem direitos a frequentar escola, direitos a brincar e ter a oportunidade de se desenvolverem saudavelmente habilidades e capacidades físicas e intelectuais.

Em pesquisa realizada em 2016, pela OIT (organização Internacional do Trabalho), 152 milhões de crianças entre 5 e 7 anos eram vítimas de trabalho infantil no mundo, sendo que 88 milhões eram meninos e 64 milhões de meninas. Quase metade dessas crianças, cerca de 73 milhões, realizavam trabalhos perigosos, e desse montante, 19 milhões delas tinham menos de 12 anos de idade.

No Brasil, Segundo a OIT, houve uma redução de 68%, pois 5 milhões e setecentos mil crianças e adolescentes (68%), entre 5 e 17 anos, deixaram der trabalhar. Essa pesquisa aponta ainda para que 59% desse publico são de meninos e 41% são de meninas.

A OIT e UNICEF, apontam hoje uma mudança no cenário mundial, fato intensificado pela pandemia, que elevou o número de crianças vítimas do trabalho infantil,

Esse fato preocupa muito a sociedade como um todo, mas cabe lembrar que trabalho infantil não é aquele em que a mãe solicita ajuda ao filho para organizar o seu espaço, desde quarto até mesmo demais cômodos da casa, limitar e disciplinar é necessário para que a criança e o adolescente também se encaixem nos afazeres do lar. Lavar uma louça, arrumar sua cama, limpar o banheiro após o seu uso, auxiliar em pequenas tarefas cotidianas fazem parte de deveres junto a família, isso não se enquadra em trabalho infantil.

Cristina Nahum - Psicóloga
Silvia Adolfo - Assistente Social